lipoaspiração-bhA lipoaspiração é realizada em todo o mundo há mais de 30 anos, sendo hoje, o 2o procedimento mais realizado em cirurgia plástica. A técnica utiliza pequenas incisões através das quais o cirurgião introduz cânulas próprias para aspirar a gordura que se acumula em áreas previamente marcadas, deixando cicatrizes mínimas. Diante de novos padrões de beleza que valoriza os mais magros, especificamente em países tropicais onde há excessiva exposição do corpo, como no Brasil, as curvas da cintura são excessivamente valorizadas, bem como quadris e glúteos bem torneados.

Entretanto existe um equívoco bastante comum, em que muitas pacientes procuram a cirurgia plástico no intuito de emagrecerem com a lipoaspiração. É nosso dever como médicos esclarecer à população que não é este o propósito desta valiosa técnica cirúrgica, mas sim, retirar excessos LOCALIZADOS de gordura, tentando tornar o contorno corporal mais próximo dos padrões atuais de beleza e do desejo do paciente, sem os exageros que lhe ameaçam a vida, como a mídia tem ressaltado. A partir do momento em que a lipoaspiração se popularizou e a procura por este procedimento atingiu grandes proporções, a comunidade científica começou a realizar pesquisas e a criar novas formas de aspiração na tentativa de tornar o procedimento mais confortável e mais seguro. Ao londo este processo, que ainda não terminou, pois novas publicações têm surgido, a técnica cirúrgica vem recebendo diferentes denominações que muitas vezes confundem o paciente. “Afinal, o que estaria mais indicado para o meu caso? Uma hidrolipo, uma vibrolipo, uma lipo light ou mesmo uma lipo de Beverly Hills?!”.


Vamos esclarecer essas diferentes variações da mesma técnica cirúrgia

Bons resultados dependem, além do uso de uma boa técnica cirúrgica, de fatores que dependem de tendências individuais tais como a “fibrosidade” da gordura do paciente (alguns possuem uma gordura mais dura, difícil de ser quebrada e de sair pela cânula) e da capacidade de retração da pele, que nada mais é do que a aderência da mesma aos planos mais profundos da região. Características genéticas, que variam individualmente, é que determinam uma maior ou menos capacidade de retração da pele e, portanto, um melhor ou pior resultado. Estes são melhores em pacientes com pele grossa, sem flacidez excessiva e portadores de uma gordura “mole”. Sobre este aspecto, cabe aqui também dizer que pacientes que já foram submetidos a lipoaspiração previamente, possuem fibrose entremeada ao tecido adiposo, o que dificulta uma nova retirada de gordura, e além disso aumenta o sangramento per-operatório. Quando não se consegue a retração de pele esperada ou desejada, costuma ocorrer uma sobra da mesma, que às vezes, deve ser retirada.

Áreas com celulite costumam apresentar uma melhora parcial uma vez que a celulite não compreende apenas o acúmulo de gordura localizada, mas também traves de fibrose que tracionam a pele para planos mais profundos, conferindo a ela um aspecto de casca de laranja.

Como se trata da 2a cirurgia mais procurada dentro de nossa especialidade e também onde ocorrem os maiores exageros de indicação e também de resultados, cabe aproveitar este espaço para esclarecer e desmistificar conceitos na tentativa de tornar a lipoaspiração um procedimento acessível a você, mas principalmente, seguro.

O princípio básico da lipoaspiração é a introdução de cânulas de diferentes calibres pela da pele, através das quais a gordura vai sendo lentamente aspirada nos locais onde se encontra em excesso. As cânulas são introduzidas em locais cuidadosamente planejados para que se tenham cicatrizes mínimas.

A “hidrolipo” compreende uma técnica na qual, antes de começar a aspirar a gordura, o cirurgião injeta dentro dela, abaixo da pele, uma solução que contem soro fisiológico e adrenalina. Essa solução objetiva deixar a gordura a ser aspirada menos densa, ou seja, mais frouxa, o que diminui a força que se deve fazer com a cânula para que a gordura saia através dela. A adrenalina, por sua vez, “fecha” temporariamente os vasos sanguíneos através de um mecanismo chamado vasoconstricção, o que diminui o sangramento na região e os hematomas no pós-operatório. Através da criação de túneis e de movimentos de vai-e-vem mais delicados, é possível uma retirada mais harmônica de gordura, isto é, de forma uniforme, evitando assim o aparecimento de irregularidades no contorno corporal, sem deixar áreas de depressão ao lado de áreas com pequenos acúmulos. Essa característica era observada antigamente e é a responsável pelo estigma desagradável do “abdome lipado”. Muito mais do que um resultado mais natural e homogêneo, a grande vantagem da hidrolipo é a de diminuir o sangramento no ato cirúrgico, fator responsável pelo que mais queremos: segurança.

Na “vibrolipo” utiliza-se um aparelho específico que transmite uma vibração à cânula em várias direções e com freqüência de 10 movimentos por segundo. Esta vibração rápida contribui para emulsionar e liquidificar mais a gordura, facilitando sua aspiração e diminuindo a força necessária para “quebrar” o tecido gorduroso. Seu uso contribui para tornar a lipoaspiração menos traumática. Associada à técnica de hidrolipo, o procedimento torna-se menos traumático e mais seguro. Pesquisas recentes observaram também uma menor incidência de nodulações pós-operatórias com esta técnica. Isto se deve provavelmente ao fato de que a gordura é retirada de forma mais homogênea e menos traumática com esta técnica.

A minilipo é a hidrolipo realizada em pequenas proporções, ou seja, com anestesia local. Acrescenta-se à solução da hidrolipo, um anestésico local. Esta técnica só é possível em pequenas áreas visto que existe um limite de anestésico local que se pode infiltrar no tecido orgânico. Esta quantidade deve ser matematicamente calculada de acordo com o seu peso e com a presença ou não de adrenalina na solução. Ultrapassar a dose permitida é um risco para você, pois quando utilizados em excesso, podem levar a problemas cardíacos e neurológicos.

A microlipo, nada mais é do que a hidrolipo realizada em mínimas proporções. Regiões tratadas com microlipo são, por exemplo, a região da papada, a gordura que se acumula anteriormente às axilas, pequenos culotes e acúmulos ao redor do umbigo. Também se utiliza anestesia local para este fim e a recuperação é muito rápida.

A lipo light é uma outra denominação dada para a “mini” e a “microlipo”, que não verdade, nada mais são do que diferentes nomes dados por diferentes autores, para conceituar o procedimento. Entretanto, muitas vezes são motivos de confusão por parte dos pacientes.

A lipo de Beverly Hills

Nesta modalidade de lipoaspiração, os idealizadores da técnica, desenvolvida me Beverly Hills (EUA), propagam o uso da chamada cartografia topográfica, como diferencial da técnica. Entretanto, sabemos que para toda lipoaspiração, são necessárias marcações com caneta cirúrgica na região a ser tratada, que consiste em desenhar na pele um plano preciso de tratamento baseado nos depósitos de gordura e servem para orientar o cirurgião no momento da aspiração. Esta marcação é realizada em toda e qualquer cirurgia plástica não sendo assim, exclusiva da lipo de Beverly Hills. Outro diferencial desta técnica tido como vantagem pelos idealizadores é o fato de usarem uma mesa acolchoadda e aquecida sobre a qual o paciente se deita no momento da cirurgia. Tal aparato, segundo eles, propicia maior conforto durante o ato cirúrgico. Em nosso ponto de vista, são denominações dadas para detalhes que nem sempre fazem diferença em termos de resultado final. Consideramos que respeitados os fundamentos básicos da cirurgia plástica, o uso de técnicas que aumentem a segurança na cirurgia, diminuam o desconforto pós-operatório e aprimorem o resultado estético, deve ser encorajado e realizado.

Dúvidas Frequentes

  • Como saberei se o meu caso pode ser resolvido com uma hidrolipo ou uma minilipo ou até como procedimentos estéticos?

Somente através da consulta médica, você poderá ser devidamente avaliada e nesta ocasião, discutido o melhor custo beneficio para você.

  • A lipoaspiração é uma cirurgia mais perigosa do que as outras?

Não, entretanto, todo procedimento cirúrgico que passa a ser banalizado e realizado por pessoas despreparadas para tal, torna-se perigoso. Não necessariamente pela cirurgia em si, mas pela forma como passa a ser realizada. A lipoaspiração pode ser uma cirurgia segura e com excelentes resultados, uma vez que ser respeitem regras e normas ditadas pelo conhecimento científico e por normas de conduta padronizadas por instituições de classe. É mandatório que se respeitem os princípios básicos de toda cirurgia, que se opere com um profissional sério, em um ambiente seguro, e com uma equipe formada e treinada para tal. Por sua vez, o paciente deve ter condições ideais para ser submetido à cirurgia. Deve ter hábitos de vida saudáveis, deve estar no peso ideal e os exames laboratoriais pré-operatórios devem estar normais.  O que ocorre frequentemente é que a lipoaspiração tem sido realizada por profissionais não-especialista pela SBCP, órgão que supervisiona, valida e certifica a formação do cirurgião. Muitas vezes é realizada em locais não preparados para tal, e em pacientes que mais precisariam de uma dieta e uma boa academia!

Realizada dentro dos limites de seguranças, claramente conhecidos pela cirurgia plástica séria, a lipoaspiração é um procedimento seguro. Fatalidades podem ocorrer com qualquer outra cirurgia, mas são exceções à regra e raramente ocorrem, diante do número exorbitante de cirurgias de lipoaspiração que são realizadas a cada segundo em todo o mundo.

  • Qual a melhor anestesia para o meu caso?

Isso também será avaliado pelo seu médico e decidido na ocasião da consulta médica. Pode ser uma pequena anestesia local ou ate uma anestesia geral. Depende principalmente da quantidade de gordura que será aspirada. Cabe aqui ressaltar que a sociedade brasileira de cirurgia plástica recomenda a retirada máxima de 5% do peso corporal do paciente. Quando se ultrapassa esta quantidade, os riscos são maiores. Daí também a necessidade de se perder peso antes da cirurgia.

  • Estou bem a cima do peso, não gosto de academia e não farei dieta. É possível me operar?

Sim, é possível. Você provavelmente encontrará cirurgiões que a operarão. Mas se você perguntar se uma cirurgia segura é possível neste caso, a resposta é não.

Para que se opere com segurança uma das necessidades básicas é diminuir o volume de gordura a ser aspirado, e para isso, há que se perder peso. Uma vez conseguida a perda de peso, os excessos poderão ser aspirados com belíssimos resultados em termos de contorno corporal.

  • Como deve ser o uso da cinta e quantas sessões de drenagem linfática devo fazer?

Após a cirurgia é recomendado repouso relativo no leito por uma semana. Andar pela casa e arredores é fundamental para evitar a ocorrência de trombose venosa. Ingerir grande quantidade de líquidos isotônicos e ter uma alimentação rica em nutrientes antes e depois da cirurgia também é importantíssimo, para repor o que se perde na cirurgia e para auxiliar uma boa cicatrização. É recomendado não se levantar de uma só vez, pois a ocorrência de tonturas é comum após a cirurgia. O uso da cinta deve ser criterioso, e seguido conforme relatório entregue pessoalmente. A drenagem linfática deve ser iniciada já na primeira semana após a cirurgia e auxilia na diminuição dos edemas e hematomas. É necessário afastar-se do sol enquanto perdurarem as manchas arroxeadas. Os pontos são retirados com 7 a 10 dias. Por fim, o retorno às atividades físicas está liberado após cerca de um mês.

  • Pré-operatório
  • Não use os MEDICAMENTOS PROIBIDOS 10 dias antes da cirurgia (impresso entregue pessoalmente durante a consulta médica).
  • Suspenda todo e qualquer medicamento para emagrecer e diuréticos que eventualmente estiver tomando, aproximadamente 15 dias antes do ato cirúrgico.
  • Comunique-se com seu médico antes da cirurgia em caso de gripe ou outra condição que comprometa o seu estado de saúde.
  • Interne-se no Hospital indicado pelo menos 30 minutos antes da hora marcada para sua cirurgia. Se  sua cirurgia estiver marcada para as 07h30min, chegue ao hospital as 07h.
  • O período de jejum deve ser de 8 horas. No caso de cirurgia marcada para as 07h30min, o jejum deverá ter início às 23h30min da véspera. Se a cirurgia estiver marcada para as 13h30min, o jejum deverá ter início às 06h30min do mesmo dia, sendo permitido um café da manhã normal antes das 06h30min. Nem mesmo água é permitida durante o período de jejum.
  • Evite bebidas alcoólicas ou refeições muito “pesadas” na véspera da cirurgia.
  • Tome o seu banho antes de ir para o Hospital ou para a Clínica como sabonete especificado na consulta médica. Recomenda-se fortemente usá-lo por uma semana antes da cirurgia em todo o corpo. Especificamente para o sexo feminino, não usar maquiagem, cremes corporais ou esmaltes de unha escuros no dia da cirurgia. Após a cirurgia as maquiagens são permitidas, a menos que se operem regiões da face.
  • Levar óculos escuros para o Hospital ou Clínica no dia da cirurgia, caso for submetida (o) a cirurgia de face.
  • Para o dia da alta, usar roupas que, para vesti-las, não necessitem passar pela cabeça (por exemplo, evitar as camisetas).
  • Levar para o Hospital ou Clínica todos os seus exames pré-operatórios. Em casos específicos, levar também as cintas, sutiãs, vestimenta adequada.
  • Tome os medicamentos prescritos para antes da cirurgia (caso tenha sido prescrito algum) e providencie aqueles prescritos para uso após a alta hospitalar.
  • Não se acanhe em ligar para o seu médico em caso de dúvidas. Não se preocupe com horários, fins de semana ou feriados. Caso não me encontre por qualquer motivo, um cirurgião de minha equipe estará sempre disponível para as informações necessárias. Sinta-se protegida (o).

 

  • Pós-operatório:
  • O primeiro curativo será feito no retorno ao consultório medico, geralmente um dia após a cirurgia (marcada previamente)
  • Após este primeiro curativo, você será devidamente orientado acerca dos curativos e banhos seguintes.
  • Como regra geral, é importante lavar as regiões dos cortes todos os dias, com o sabonete prescrito, com o auxilio de uma gaze, deixando a água do chuveiro cair com abundancia, após deixar a espuma agindo por cerca de 10 min. Massageie levemente com a gaze com cuidado para que os pontos não se soltem.
  • Após o banho, proceda com o curativo conforme lhe foi ensinado e coloque a cinta.
  • Use a cinta cirúrgica que não deve estar nem largo nem apertado, apenas na medida certa para que você sinta-se segura (o) e confortável. É importante não deixar que se forme um garrote com a cinta, o que pode comprometer a vascularização de sua pele, levando a feridas de difícil tratamento.
  • Evite dirigir por 15 dias no mínimo e exercitar-se na academia por um mês. O dia exato em que estará liberado para tais atividades ser-lhe-á informado pelo médico e dependerá de sua evolução pós-operatória e de características de sua cirurgia.
  • Siga corretamente a prescrição médica com atenção especial ao horário de ingestão dos antibióticos.
  • É importante o repouso absoluto e relativo, conforme recomendado, mas é altamente recomendável andar pela casa e arredores, já no primeiro dia de pós-operatório, evitando permanecer no leito, o que aumenta o risco de trombose venosa.
  • Fique afastada (o) dos afazeres domésticos mais pesados por pelo menos 15 dias.
  • Ir à piscina ou à praia está permitido após 30 dias desde que se use óculos escuros, bonés ou chapéus de aba larga, da cor preta, que cubram totalmente as pálpebras e evite a exposição ao sol. O uso de protetor solar FPS 30 também está indicado.
  • Ir ao consultório como solicitado, para avaliação da  evolução da cirurgia. Os pontos serão retirados após 5 a 10 dias  de pós-operatório.
  • Retorne ao consultório médico na data marcada para dar início às medidas propostas para o seu pós-operatório.
  • Não se acanhe em ligar para o seu médico em caso de dúvidas. Não se preocupe com horários, fins de semana ou feriados. Caso não o encontre por qualquer motivo, um cirurgião da equipe estará sempre disponível para as informações necessárias. Sinta-se protegida (o).
  • Para maiores informações, ligue (31) 8493 2172 ou envie um e-mail: contato@patricialeite.com